Em Rio Verde:

Garoto de programa e travesti negam extorsão.

O garoto de programa e a travesti que foram presos no sábado (1º) por suspeita de extorquir um idoso de 65 anos após um programa negaram as acusações. O caso aconteceu em Rio Verde, sudoeste de Goiás. Segundo a Polícia Civil, os dois queriam dinheiro para não divulgar um vídeo feito durante a relação sexual entre eles. No entanto, a dupla alegou que apenas cobrou mais caro porque a vítima teria pedido - e aceito os valores - por um tipo de "sexo diferente”.

"Os dois negaram que tenham extorquido. Eles falaram que cobraram um valor mais alto do senhor em razão dele pedir para fazer sexo sem camisinha. Em razão do sexo sodômico, eles falaram que cobraram um preço mais alto. Cada um cobrou R$ 5 mil pelo programa", disse o delegado do caso, Stanislao Montserrat.

A prisões aconteceram dentro do estacionamento de um atacadista às margens da BR-060. Ainda conforme o delegado, os presos relataram que o idoso aceitou todos os termos da negociação e não se importou com valores.

"Eles disseram que o homem dizia ser empresário, que dinheiro não era problema, que era para fazer o que ele pedisse e pronto, porque depois acertaria tudo", pontua.

Polícia não crê na versão
Montserrat, contudo, não acredita na versão e trabalha com a hipótese de que a dupla tinha interesse em obter dinheiro da vítima com a divulgação do vídeo.

"A versão é fantasiosa porque o idoso só tinha R$ 1 mil no bolso. O garoto de programa foi com ele até o caixa eletrônico para sacar mais R$ 1,5 mil porque ele só poderia sacar esse valor. Ainda tirou uma corrente de ouro desse senhor e o cheque em branco. São atitudes muito diferentes do que é de praxe", detalha.

O responsável pelo caso destacou ainda que há prints de mensagem entre o idoso e os suspeitos nas quais a vítima se mostra receosa com a divulgação das imagens. "Nas conversas deles, o idoso fala perfeitamente: 'Mas depois que eu pagar você vai apagar o vídeo'. Ele mostra preocupação com o vídeo", salienta.

No entanto, eles cobram mais dinheiro para não divulgar o vídeo. O idoso tenta até negociar, mas quando recebe um ultimato, decide procurar a polícia.

"Ele pechinchando, em vez de pagar R$ 7,5 mil, fala em pagar somente mais R$ 3 mil. Então a travesti fala: 'Não precisa pagar nada, vou divulgar seus vídeos nas redes sociais'. Depois, mandou uma foto da família dele. Ele ficou doido e foi à delegacia pedir ajuda", finaliza.

(Fonte: G1)