Em Rio Verde:

Advogado é preso suspeito de estuprar menina de 7 anos em piscina de clube.

Um advogado de 49 anos foi preso suspeito de abusar sexualmente de uma menina de 7 anos dentro de uma piscina em um clube de Rio Verde, no sudoeste de Goiás. O caso foi registrado inicialmente como estupro de vulnerável.

De acordo com o registro feito pela Polícia Militar, a criança relatou que estava tomando banho em uma das piscinas do clube, na tarde de domingo (3), quando Edson Eduardo Azeredo, por oito vezes, teria passado as mãos em suas partes íntimas e a acariciado. Uma das cenas foi presenciada pelos pais da menina.

De acordo com Danilo Marques Borges, advogado que cuida da defesa de Edson, o seu cliente seguia preso até a tarde desta segunda-feira. Ainda de acordo com ele, o suspeito ficou sem silêncio durante o depoimento.

“Estamos aguardando a conclusão do inquérito para ver os elementos de informação colhidos pela autoridade policial. [Ele] está preso, aguardando designação de audiência de custódia”, comentou Danilo.

A Ordem dos Advogados do Brasil, em Rio Verde, disse que acompanha o caso de forma institucional e assim que for oficiada pelo Judiciário a situação será avaliada pela comissão de ética e disciplina da OAB em Goiânia. Segundo o órgão, caso constatada a má conduta, Edson Eduardo Azeredo pode ter o registro cassado.

De acordo com a PM, a criança, mesmo em prantos, contou em detalhes todo o ocorrido. A ocorrência relata que a menina contou aos pais sobre os abusos, que passaram a observar a garota e viram quando o suspeito voltou a tocar as partes íntimas da criança.

Vigilantes do clube tentaram deter o autor, juntamente com frequentadores do local. No entanto, não conseguiram, mas mantiveram a vigilância até a chegada da Polícia Militar.
Consta na ocorrência feita pela PM que o suspeito, ao visualizar as equipes policiais, saiu do local, mas foi pego dentro do clube, perto da portaria. Ainda segundo a PM, ele teria tentado resistir à prisão.

No relato da PM, consta que o homem foi algemado e levado para 8ª Delegacia Regional de Polícia (DRP), juntamente com a vítima e as testemunhas.

De acordo com a assessoria de comunicação da 8ª DRP, apesar de a PM ter apresentado o caso como estupro de vulnerável, a delegada responsável pela investigação ainda está analisando, e a tipificação final será apresentada após cumprimento das diligências.

Nesta terça-feira (5), está prevista uma entrevista coletiva na Polícia Civil para falar sobre o caso.

(Fonte: G1)